top of page
  • Foto do escritorGabriel Resgala Silva

Nosso companheiro, o Estresse: o que é? Como enfrentar?

O estresse se tornou uma presença constante em nossas vidas modernas. Diante das demandas do trabalho, relacionamentos, prazos apertados e pressões diárias, é fácil se sentir sobrecarregado e exaurido. No entanto, entender o que é o estresse e aprender a enfrentá-lo é essencial para preservar nossa saúde mental e bem-estar.

Mulher estressada

O estresse é uma resposta natural do organismo a situações desafiadoras. É uma reação do corpo a qualquer mudança física, mental ou emocional que exija uma adaptação ou ajuste. Em doses moderadas, o estresse pode ser benéfico, pois nos motiva a agir, aumenta nosso foco e melhora o desempenho. No entanto, quando o estresse se torna crônico e persistente, pode ter efeitos prejudiciais em nossa saúde.


O estresse pode ser dividido em três fases distintas: a fase de alerta, a fase de resistência e a fase de exaustão. Na fase de alerta, também conhecida como resposta de luta ou fuga, o organismo reage rapidamente a um estímulo estressante, preparando-se para lidar com a situação. Nesse estágio, ocorrem alterações fisiológicas, como aumento da frequência cardíaca, liberação de hormônios do estresse e aumento da vigilância mental. Permanecer na fase de alerta por um tempo específico (como numa semana de provas na escola, nas vésperas de uma prova de vestibular, concurso público ou exame de direção, ou um período de entregas importantes no trabalho) pode ser funcional e adaptativo. Em geral, conseguimos lidar bem, sem maiores consequências para o organismo.


Mas, se o estresse persistir, o corpo entra na fase de resistência, na qual busca se adaptar e lidar com as demandas contínuas. E, por fim, se o estresse se mantiver por um longo período sem alívio ou se houver uma sobrecarga excessiva, o corpo entra na fase de exaustão (que alguns chamam de Síndrome de Burnout). Nessa fase, a energia física e mental se esgota, resultando em um aumento do risco de problemas de saúde, como doenças cardiovasculares, distúrbios do sono e transtornos mentais.


O estresse negativo se manifesta de diferentes maneiras, e os sintomas podem variar de pessoa para pessoa. Alguns sinais comuns podem incluir alterações de humor, irritabilidade, ansiedade, dificuldade de concentração, tensão muscular, distúrbios do sono, fadiga excessiva e problemas gastrointestinais. Reconhecer esses sinais precocemente é fundamental para tomar medidas e evitar que o estresse se torne debilitante a longo prazo, realizando o enfrentamento adequado. As principais estratégias para enfrentar o estresse incluem:

  1. Autoconhecimento: Identificar os fatores estressantes em sua vida é o primeiro passo para enfrentá-los. Observe quais situações, pessoas ou pensamentos desencadeiam sua resposta de estresse e procure maneiras de reduzir ou evitar esses gatilhos sempre que possível.

  2. Gerenciamento do tempo: Organize seu tempo de forma eficaz, estabelecendo prioridades e evitando sobrecargas. Aprenda a delegar tarefas, estabelecer limites e reservar momentos para o autocuidado e o relaxamento.

  3. Práticas de relaxamento: Encontre atividades que promovam o relaxamento e a redução do estresse, como meditação, ioga, exercícios de respiração profunda ou passeios ao ar livre. Essas práticas ajudam a acalmar a mente, relaxar o corpo e restaurar o equilíbrio emocional.

  4. Estabeleça limites saudáveis: Aprenda a dizer "não", praticando a assertividade, quando sentir que sua carga de trabalho ou compromissos sociais estão se tornando excessivos. De forma cuidadosa, mas firme, deixe claro que é a sua saúde que está em jogo - e, consequentemente, a sua produtividade.

  5. Maneje a Ansiedade: Preocupações, nervosismo e medos constantes podem aumentar a carga de estresse e, além do descontrole emocional, intensificar as consequências físicas. Aprenda aqui um pouco mais sobre a ansiedade e como enfrentá-la de maneira eficaz.

  6. Suporte social: Cultivar relacionamentos saudáveis e contar com o apoio de entes queridos é fundamental para enfrentar o estresse. Compartilhe seus sentimentos, preocupações e dificuldades com pessoas de confiança, pois o suporte social pode aliviar a pressão e proporcionar uma sensação de conexão e apoio.

  7. Estilo de vida saudável: Cuide de seu corpo alimentando-se bem e praticando atividades físicas regularmente. Uma dieta equilibrada, rica em nutrientes, contribui para a saúde geral e fortalece o sistema imunológico, tornando-o mais resistente ao estresse. Da mesma forma, a prática regular de exercícios físicos (de preferência prazerosos) libera endorfinas, neurotransmissores responsáveis pela sensação de bem-estar, reduzindo os níveis de estresse.

  8. Durma bem: O sono desempenha um papel crucial na nossa capacidade de lidar com o estresse. Certifique-se de ter uma rotina de sono adequada, com tempo suficiente para descansar e recuperar-se. Veja aqui dicas importantes de higiene do sono, que podem trazer mais qualidade ao ato de dormir.

  9. Descanse acordado: É essencial reservar um tempo diário para cuidar de si mesmo e dedicar-se a atividades que tragam prazer e relaxamento. Isso pode incluir hobbies, leitura, tomar um banho quente, ouvir música, praticar um esporte ou qualquer outra atividade que lhe proporcione momentos de descanso e renovação.

Lembre-se: nosso corpo consegue enfrentar bem uma certa dose de estresse no dia-a-dia, desde que seja intercalada com momentos de relaxamento diários, semanais (fins de semana) e mais esporádicos (feriados, férias). O ideal é conseguirmos nos "desligar" totalmente do trabalho ao chegar em casa, concentrando-nos em outras atividades até o dia seguinte. Para isso, é essencial que empresas adotem a política de não incomodar seus trabalhadores fora do horário de serviço com e-mails, telefonemas ou mensagens no celular - a não ser em caso de urgência.


Enfrentar o estresse é uma jornada contínua, mas com as estratégias adequadas é possível minimizar seus efeitos negativos em nossa saúde mental e física. Lembre-se de que cada pessoa é única e pode responder de maneira diferente às técnicas de enfrentamento. Portanto, é importante explorar diferentes abordagens e encontrar aquelas que funcionam melhor para você. Se necessário, não hesite em procurar apoio profissional com um psicoterapeuta. Priorize seu bem-estar emocional e lembre-se de que cuidar de si mesmo é fundamental para viver uma vida equilibrada e saudável.



Olá! Meu nome é Gabriel Resgala, sou psicólogo e terapeuta Cognitivo-Comportamental. Se desejar tirar dúvidas ou marcar uma sessão, basta clicar no botão abaixo para falar comigo. Sinta-se à vontade!



Comentarios


bottom of page